Uso de nobreak senoidal em aplicações de TI

É de conhecimento do mercado a importância e excelentes características que os nobreaks de dupla conversão apresentam, e que devido ao seu custo elevado terminam destinadas essencialmente a aplicações mais complexas e críticas de TI, bem como a área hospitalar, por exemplo.

Uma situação bem comum de uso dos nobreaks é receberem alimentação principal da rede elétrica e alimentação alternativa de grupos geradores, sendo que o nobreak apenas opera pelas baterias enquanto se efetua a transferência entre essas duas fontes de alimentação.

Em aplicações críticas, de dezenas de kws, (de 50kw a 500kw, por exemplo) é comum o nobreak receber alimentação principal de uma cabine primária, que condiciona a rede elétrica (algumas a estabilizam) e recebem alimentação alternativa de grandes geradores auto-regulados em tensão e frequência com baixíssima distorção harmônica. Em tais condições ideais os nobreaks de dupla conversão cumprem a contento a sua missão e apresentam baixo desgaste, requerendo apenas as manutenções preventivas agendadas. 

Aplicações de TI entre 2 e 5kw também são essenciais e estão em todos os setores da economia, como órgãos públicos, empresas privadas, área hospitalar e serviços em geral. Neste range de potências, entre 2 e 5kw, a alimentação principal – a rede elétrica – não apresenta tantos cuidados e a alimentação alternativa parte de geradores menores e com menos recursos. Nestas condições, os nobreaks de dupla conversão se desgastam mais rapidamente e requerem manutenções frequentes (baterias, ventiladores, circuitos muito empoeirados, capacitores eletrolíticos ressecados).

Em casos de falha, o nobreak dupla conversão entra em modo bypass e transfere à rede elétrica ou o gerador direto para a carga, sem nenhum condicionamento de tensão ou frequência, até que o nobreak seja reparado, e o nobreak se comporta como uma extensão, levando a energia de entrada diretamente para os equipamentos de TI. 

Em casos de operar em modo ECO, o nobreak de dupla conversão entra em modo bypass e também se comporta como uma extensão. Portanto, esse modo de operação que desgasta menos os nobreaks e oferece maior eficiência energética, elimina as proteções características dos nobreaks online, que passa a operar como um nobreak interativo, ativando o inversor somente quando a rede sofre prejuízos.

Foi pensando nestes inconvenientes e nesta faixa de consumo entre 2 e 5kw, menos provida de soluções profissionais de qualidade, que a tecnologia senoidal se encaixa, pois apresenta potência real (/watt = VA), inversor com onda senoidal pura, tempo de transferência menor que um décimo do suportado pelas fontes chaveadas dos computadores e equipamentos de TI (de acordo com a norma IEC 62040-3 para o desempenho de nobreaks), saída regulada em qualquer modo de operação, mesmo quando a bateria apresenta falha.

Outra vantagem dos nobreaks senoidal em aplicações críticas, é que esse tipo de tecnologia é provida de algoritmos de análise de rede adaptados à realidade da rede elétrica brasileira e a geradores de menor potência. Estes algoritmos controlam adequadamente a regulação e viabilizam o uso das baterias apenas em casos de real necessidade, evitando o desgaste prematuro de baterias e peças. Esse tipo de UPS também agrega carregadores inteligentes de bateria que repõem de forma rápida e eficaz a autonomia do equipamento, sem danificar as baterias.

A manutenção também é outro fator determinante na adoção desse tipo de nobreak. Nos modelos tipo rack 19” os equipamentos disponíveis no mercado facilitam a manutenção on-site, como a remoção frontal do pack de baterias e o gerenciamento, uma vez que possuem a opção de comunicação e controle via web com log de eventos e relatórios por e-mail ou SMS, com suporte a encriptação de dados.

Pedro Al Shara, CEO da TS Shara

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *