Decoração de Natal: confira 6 dicas para evitar acidentes elétricos

Curto-circuito na rede elétrica pode gerar incêndios; saiba como manter sua casa enfeitada, porém segura

O período natalino é uma das épocas em que as cidades se tornam iluminadas e cheias de vida. Porém junto com a beleza aparecem os perigos. O risco mais comum é o de curto-circuito na rede elétrica, ocasionado por sobrecargas com o excesso de luzes e que pode gerar incêndios.

De acordo com estudo da Abracopel (Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade), o primeiro semestre de 2021 registrou cerca de 355 acidentes de origem elétrica, sendo que desse total 288 foram causados pelos incêndios por sobrecarga. As razões mais comuns atribuídas aos acidentes são as “gambiarras” elétricas, as instalações elétricas antigas que sofrem sobrecargas em seus circuitos e carecem de manutenções, como também o uso de uma mesma tomada para conexão de diversos equipamentos ao mesmo tempo.

Pedro Al Shara, CEO da TS Shara, fabricante nacional de equipamentos de proteção de energia, explica que o curto-circuito geralmente ocorre pela má instalação das luzes. Lâmpadas ligadas na mesma tomada, que ao mesmo tempo são utilizadas por outros aparelhos eletrônicos, podem resultar em sobrecarga, pois concentram uma força adicional excessiva capaz de provocar um incêndio. Por isso, ele afirma que, no momento da instalação dos enfeites natalinos, os adaptadores devem estar desconectados das fontes de energia, pois além de danificar os aparelhos conectados, podem causar um aquecimento e derretimento do material.

Para evitar esse e outros problemas, o engenheiro elétrico recomenda que se siga alguns passos básicos na hora de escolher e instalar as luzes natalinas.

Confira:

1. Atenção na hora da compra

Qualquer item decorativo deve ter o selo de certificação do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia), que atesta a qualidade e a segurança do artigo de acordo com a legislação e realidade elétrica do Brasil. Se possível, teste o produto antes de decidir pela compra e confirme a tensão – 110v ou 220v.

2. Inspecione e limpe os enfeites antes da instalação

Se a ideia é aproveitar os enfeites comprados em anos anteriores, o alerta é para que se verifique se há fios ressecados, desencapados ou rompidos. Nesse caso, o ideal é descartá-los e adquirir novos. Ou, até mesmo, solicitar a um eletricista os concertos dos objetos com fitas isolantes de alta qualidade.

3. Use as extensões com moderação

De acordo com o especialista, é importante ter cuidado com as extensões e múltiplas ligações por tomada, que devem ser evitadas – seja para impedir o aquecimento dos aparelhos, seja para frustrar tropeços em fios. Se você é daqueles que costuma utilizar mais de um pisca-pisca, é recomendável separar cada plugue para uma única tomada ou utilizar um filtro de linha.

4. Decorações externas merecem cautela

Outra situação que precisa de cuidados, segundo o engenheiro elétrico da TS Shara, é ao colocar o pisca-pisca em contato com a chuva, principalmente em sacadas de prédios. O especialista afirma que esse tipo de material em ambiente úmido pode causar curto-circuito e até consequências para a edificação. Use uma escada de madeira ou fibra de vidro com pés emborrachados quando for pendurar luzes no alto e ao ar livre. Esses materiais evitam a condução de energia elétrica, reduzindo o risco de choque elétrico.

5. Busque alternativas mais econômicas

Uma estratégia para diminuir riscos são os pisca-piscas que utilizam lâmpadas de LED. Elas consomem menos energia e, por isso, apresentam menos risco de sobrecarga. Outra dica é dar preferência aos produtos com tomadas que possuem o terceiro condutor, central, que é o condutor de terra e previne choques elétricos e danos às instalações em casos de intempéries.

6. Não deixe tudo ligado

Por fim, ao sair de casa e ao dormir, é aconselhável sempre desligar qualquer iluminação. Além de aumentar os riscos de haver um incêndio, especialmente quando não há ninguém perto para lidar com ele, também gera um consumo desnecessário de energia elétrica. Mas caso algo aconteça, é importante desligar imediatamente o disjuntor geral e acionar os bombeiros através do número 193.

Publicação original: Metro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.